terça-feira, 10 de novembro de 2009

Quando você come moralismo e caga hipocrisia (Uma crítica a você, cidadão)

Critiquemos a política.
Critiquemos o desmatamento.
Critiquemos as ruas e a segurança,
Os assassinos e a polícia.
Critiquemos a desigualdade e a discriminação e
critiquemos as políticas afirmativas.
Critiquemos o terrorismo e
critiquemos, também, os Estados Unidos.
Critiquemos a sujeira, o lixo, a lama,
a poluição.

Critiquemos você, cidadão.

Critiquemos o país, o mundo, a sociedade inteira
Por viver de hipocrisia à sua maneira.
Critiquemos a mídia, a televisão, as imagens,
a violência, a vulgarização.
Critiquemos a pornografia, as mulheres, a prostituição.

Critiquemos você, cidadão.

Critiquemos a tecnologia e tudo o que ela propicia.
Critiquemos o avanço, a maquinização das coisas.
Critiquemos a concretude ortogonal que se ergue pela cidade
Como monstros implacáveis.
E, vá lá, critiquemos a ciência e a religião.

Critiquemos você, cidadão.

Critiquemos você aí sentado,
De cara pra TV ou pro computador,
Não sem certa empáfia,
Criticando a política, a mídia, a pornografia,
a segurança, a poluição, o desmatamento, a sujeira,
o país, o mundo, a sociedade inteira
por viver de hipocrisia à sua maneira.
Critiquemos, ao mesmo tempo, Geisy Arruda e a Uniban,
os alunos e o Taleban.

"Poesia rima com hipocrisia", Laurinha.

Um comentário:

Lorenzo Tozzi disse...

penso que é poesia sim, para não me desanimar.

o seu parece música.